Pesquisa Personalizada Google

Ouça Estudos de Temas Bíblicos Agora:

Pesquisa Personalizada Google

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Remédio antifumo é questionado na Grã-Bretanha

Um remédio para ajudar os fumantes a largar o vício está em cheque na Grã-Bretanha depois de reclamações de alguns pacientes por conta dos efeitos colaterais, que incluem pensamentos suicidas.
O órgão britânico que monitora os remédios, o MHRA, afirmou que vai acompanhar a situação de perto, depois de 839 reclamações de reações adversas relacionadas ao Champix, produzido pela Pfizer, que começou a ser vendido no Brasil este ano.
O MHRA recebeu 46 reclamações de pacientes com depressão, a maioria deles com histórico da doença. Outros dezesseis pacientes disseram ter cogitado suicídio, mas nenhum foi consumado.
Além disso, houve reclamações de pesadelos, tonteira, fadiga, dores de cabeça, insônia, enjôo e vômito, todos efeitos colaterais possíveis e previstos na bula do remédio.
O orgão americano que monitora remédios já havia levantado questões sobre o Champix, também conhecido como vareniclina.
O remédio é revolucionário porque trabalha bloqueando e estimulando os chamados receptores nicotínicos no cérebro.
Acredita-se que, ao estimular o receptor, ele estaria imitando o efeito da nicotina para diminuir o desejo de fumar.
Ao mesmo tempo, ele bloqueia parcialmente o receptor, impedindo que ele seja afetado pela nicotina, resultando em uma resposta cerebral "mais fraca", caso o paciente caia em tentação e acabe fumando um cigarro.
Os testes com o medicamento sugerem que 44% dos pacientes pararam de fumar depois de tomá-lo, em comparação aos 18% que receberam um placebo e aos 30% que tomaram outro remédio, o bupropiona (genérico do Zyban).
Na semana passada, a autoridade americana que regula alimentos e medicamentos, a Food and Drug Administration, anunciou que está investigando o remédio, depois de receber queixas semelhantes.
A Agência Européia de Medicamentos afirmou ter avaliado as preocupações em julho, e decidiu que nenhuma ação seria necessária. Ela concluiu que as advertências na bula do remédio são adequadas.
Em um comunicado, a Pfizer disse que "não há evidência científica estabelecendo uma relação causal entre a vareniclina e as reclamações depois que o remédio foi posto à venda"
"Parar de fumar, com ou sem tratamento, é associado aos sintomas da abstinência de nicotina e vem sendo associado à exacerbação de problemas psicológicos latentes." (Fonte: BBCBrasil)

Nenhum comentário:

Pesquisa Google