Pesquisa Personalizada Google

Ouça Estudos de Temas Bíblicos Agora:

Pesquisa Personalizada Google

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

TABAGISMO PASSIVO INFANTIL


MOTIVOS PARA DEIXAR DE FUMAR

Dez motivos para abandonar o cigarro

Por Lola Felix

Os pulmões são órgãos vitais, mas nem assim, garantir seu bom funcionamento é razão suficiente para convencer os 23 milhões de fumantes brasileiros a largarem o cigarro. Como nesta quarta-feira, dia 29 de agosto, é o Dia Nacional de Combate ao Fumo, selecionamos 10 outros motivos para abandonar o tabagismo. Se você é fumante, escolha o seu e reflita:
1- Garanta a saúde dos seus filhos, os que você já teve e os que você terá:
Se a mulher está grávida, é melhor abandonar o tabagismo abruptamente. Filhos de fumantes correm risco de nascer com baixo peso, uma vez que o fluxo placentário é reduzido. Voltar a fumar depois que a criança estiver maior também não é uma boa idéia. "A criança acaba acumulando nicotina no sangue, o que aumenta as chances de ela se tornar viciada na substância mais tarde", alerta a oncologista Nise Yamaguchi, médica pesquisadora da divisão de pneumologia do Hospital das Clínicas (HC) e membro da aliança Contra o Tabagismo. A produtora de elenco Silvia Gattai, de 27 anos, parou de fumar quando descobriu estar grávida de Júlia, hoje com 5 anos. "Não tive coragem de fumar na gestação, nem de continuar fumando", confessa Silvia.
2 - Economize dinheiro:
A média de consumo do fumante brasileiro é de um maço/dia. Considerando que a média de preço de cada maço é de R$ 3, a pessoa poderia economizar até R$ 1.095 ao ano.
3 - Não acelere o envelhecimento:
A pele do fumante piora por deficiência de circulação. "O oxigênio não chega aos tecidos e os vasos sanguíneos ficam menos irrigados", explica a cardiologista Jaqueline Issa, diretora do Programa de Tratamento do Tabagismo do Instituto do Coração (Incor) . O resultado? Um rosto mais flácido e sem brilho.
4 - Mantenha eternamente o sorriso:
A gengiva do fumante é mais inflamada. Além disso, ele apresenta mais casos de placa bacteriana, causada pela baixa imunidade local. "Muita gente, no extremo da gengivite, acaba perdendo dentes", relata a oncologista Nise Yamaguchi, do HC.
5 - Deixe a vida mais perfumada:
Não é só o hálito do fumante que melhora assim que ele abandona o cigarro. Roupas, pele e carro também agradecem a distância do tabaco. "Fiz muitíssimo bem em largar o cigarro. A vida agora é muito mais saudável e cheirosa", diz Chico Damaso, 48 anos, que parou de fumar por causa dos quatro filhos. "Às vezes o fumante só vai saber que tinha um odor fétido depois que pára de fumar, e acaba ficando envergonhado", diz a cardiologista Jaqueline Issa, do Incor.
6 - Liberte-se da escravidão do cigarro:
O fumante pode jantar no melhor restaurante de Paris, beber o melhor vinho, comer o melhor prato. Nada vale se não houver um cigarrinho no final ou durante o jantar. "Ele é refém do prazer de fumar", considera a cardiologista Jaqueline Issa.
7 - Troque o cigarro pela atividade física:
Infelizmente, parar de fumar pode fazer com que a pessoa engorde sim, uma vez que a comida passa a ter sabor. A estratégia é substituir um hábito ruim (o tabagismo) por outro bom (o exercício físico). Fácil não é, mas quem faz não se arrepende.
8 - Poupe sua memória:
A oncologista Nise Yamaguchi diz que, com a diminuição da vascularização, o cérebro envelhece mais rapidamente e a memória fica comprometida. "Enquanto fuma, a pessoa tem uma pseudo sensação de inteligência, pois alguns neurotransmissores no cigarro aceleram o pensamento", diz Nise. Assim que deixa o tabaco, a pessoa pode se sentir um tanto lenta. Exercícios, vitaminas e aminoácidos podem acelerá-la novamente.
9 - Passe menos tempo no trabalho:
Segundo a oncologista Nise Yamaguchi, quem fuma perde até sete dias por ano, contando as escapadinhas ao fumódromo e as licenças por doenças causadas pelo cigarro.
10 - Para aquela cirurgia dar certo:
Muitos médicos recomendam aos pacientes deixarem o cigarro antes de uma cirurgia. "É que o cigarro pode trazer complicações pulmonares, além de piorar a cicatrização de feridas", explica a cardiologista Jaqueline Issa. Abandonar o tabaco dois meses antes de cirurgias diminui riscos.
Você está pronto para parar de fumar?
Escolha o número que melhor descreve o quão importante cada afirmação é para você. Se ela não se aplicar a você, selecione a opção número 1.
1. Parar de fumar me deixa irritado
2. Eu posso ficar mais estressado se abandonar o tabagismo.
3. Largar o cigarro dificultará meu convívio com fumantes.
4. Terei de lidar com os sintomas de abstinência.
5. Se eu parar, reduzirei o risco de ter doenças cardíacas ou câncer.
6. Eu serei um bom exemplo para outros se parar de fumar.
7. As roupas, o carro e minha casa terão um cheiro melhor se parar de fumar.
8. Eu não estarei expondo outras pessoas ao fumo passivo.
Pontuação: Nada importante - 1 ponto. Pouco importante - 2 pontos. Razoavelmente importante - 3 pontos. Muito importante - 4 pontos. Extremamente importante - 5 pontos.
Some suas respostas:
Resultado:
Se o valor foi 16 ou mais: Você pretende parar de fumar nos próximos seis meses. Procure um médico para ajudá-lo nesse processo.
Se o valor foi menor que 16: Você não pretende parar de fumar nos próximos seis meses. Pense mais sobre o assunto e pergunte a si mesmo quais são as razões que o levam a querer parar de fumar.
Se precisar de mais informações sobre tabagismo, os benefícios associados à cessação e como largar o cigarro, visite o site www.euqueroparar.com.br

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

29 DE AGOSTO - DIA NACIONAL DE COMBATE AO TABAGISMO

Dia Nacional de Combate ao Fumo – 29 de agosto:

Desde 1986, o Instituto Nacional de Câncer (INCA) comemora o Dia Nacional de Combate ao Fumo, criado pela Lei Federal nº. 7.488, em 29 de agosto. O INCA, órgão coordenador do Programa Nacional de Controle do Tabagismo, busca sensibilizar e mobilizar a população brasileira para os danos sociais, econômicos e ambientais ocasionados pelo consumo de produtos derivados do tabaco. Este trabalho é realizado em parceria com as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária e ONGs. Este ano, o tema escolhido pelo Ministério da Saúde para a data é “Ambientes Livres de Tabaco” e está alinhado com o artigo 8º do primeiro tratado internacional para o controle do tabaco, denominado Convenção-Quadro. O objetivo principal é alertar para o fato de que centenas de milhares de pessoas que nunca fumaram morrem a cada ano por doenças causadas pela exposição à fumaça ambiental do tabaco, também conhecida como tabagismo passivo. Além disso, são expostos os malefícios do tabagismo, que é a segunda maior causa de morte no mundo. O tema do Dia Nacional de Combate ao Fumo visa ainda estimular o controle social na fiscalização da Lei Federal nº 9.294/1996, que proíbe fumar em recintos coletivos fechados. Mais informações no sítio eletrônico do INCA: www.inca.gov.br/tabagismo
Fonte : Divisão de Controle do Tabagismo do INCA

terça-feira, 14 de agosto de 2007

INDENIZAÇÃO A FUMANTE

O Ministério Público de São Paulo entrou com ação civil pública indenizatória na Justiça Estadual contra as fabricantes de cigarros Phillip Morris e Souza Cruz. João Lopes Guimarães Júnior, da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor, quer que essas empresas sejam condenadas ao pagamento de indenizações pelas cerca de 200 mil pessoas que morrem por ano no País em razão do tabagismo. Ele pretende ainda que as indenizações sejam pagas para fumantes ativos, passivos e também para os cofres dos governos estaduais e municipais, que gastam com o tratamento dos doentes.
De acordo com o promotor, o cigarro causa 30% das mortes por câncer e é responsável por 90% dos óbitos resultantes de câncer no pulmão. No Brasil, 33,8 % dos adultos são fumantes. Eles consomem, em média, 858 cigarros por ano cada um. Já os ganhos internacionais da indústria do tabaco totalizaram cerca de US$ 45,3 bilhões em 2005 - US$ 5,75 bilhões a mais do que no ano anterior.
A idéia do promotor é fazer com que as fabricantes sejam condenadas à obrigação de indenizar todos os consumidores, seus familiares e dependentes pelos danos materiais e morais sofridos em decorrência dos prejuízos à saúde provocados pelo consumo dos cigarros que produz.
Pesquisa Google