Pesquisa Personalizada Google

Ouça Estudos de Temas Bíblicos Agora:

Pesquisa Personalizada Google

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Brasil está entre os 10 países com mais fumantes no mundo

O Brasil está entre os dez países com mais fumantes no mundo, segundo um comunicado da Organização Mundial de Saúde publicado em Nova York.


O tabaco poderá ainda matar bilhões de pessoas no planeta esse século, caso os governos e a sociedade civil não atuem rapidamente para reduzir seu consumo, continua o relatório da OMS.
"O tabaco matou 100 milhões de pessoas no mundo durante o século XX e matará bilhões no século XXI se as tendências atuais se mantiverem", indica o "Informe sobre a epidemia mundial de tabagismo", apresentado pela diretora-geral da OMS, Margaret Chan, e o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg.
"Se não se fizer nada, o número de mortes ligadas ao tabagismo alcançará mais de oito milhões de pessoas por ano até 2030, e 80% desses casos irão ocorrer nos países em desenvolvimento", continua o documento.
O estudo, que exibe estatísticas sobre o consumo de tabaco e as medidas tomadas para reduzir esse hábito em países que representam 99% da população mundial, recomenda uma estratégia em seis fases chamada "MPOWER", para lutar contra esse problema.
Essa estratégia inclui o acompanhamento, em cada país, do consumo e as políticas de prevenção; a proteção da sociedade contra o fumo de tabaco; o desenvolvimento de programas de ajuda para pessoas que desejam parar de fumar; o melhoramento da informação sobre os perigos do tabagismo; a aplicação efetiva de proibições para as propagandas de tabaco e a alta de impostos para esse produto.
"Essas seis estratégias estão ao alcance de todos os países e, combinadas em um só 'pacote', nos oferecem a possibilidade de reverter a crescente epidemia", disse Bloomberg, também um ex-fumante.
Segundo o informe, cerca de dois terços dos fumantes do mundo vivem em dez países: China (cerca de 30%), Índia (10%), Indonésia, Rússia, Estados Unidos, Japão, Brasil, Bangladesh, Alemanha e Turquia.
Contudo, apenas 5% da população mundial está protegida por legislações amplas contra o tabagismo, enquanto metade dos países -- dois terços do mundo desenvolvido -- não têm informações mínimas a respeito do consumo do tabaco.
Por outro lado, "na maioria dos países, o consumo do tabaco é maior entre os pobres do que entre os ricos, e os menos favorecidos sofrem mais com as conseqüências das doenças associadas com o tabagismo, o que gera dificuldades econômicas e perpetua o círculo vicioso da pobreza e da doença", adverte o estudo da OMS.
Descrevendo o informe como "revolucionário", o prefeito de Nova York declarou também que, "pela primeira vez, o mundo dispõe de um enfoque rigoroso para deter a epidemia do tabagismo uma vez que existem estatísticas sólidas para que cada parte se responsabilize". (Fonte: YahooNotícias)

Mais:


Nenhum comentário:

Pesquisa Google